Benefícios da praia e do mar

  Sistema Locomotor:  Além dos benefícios energéticos do contato com a areia da praia, caminhar à beira-mar descalço estimula a propriocepção, que é a percepção do corpo por meio de um movimento que desafia o sistema nervoso central.

Esse tipo de treinamento melhora a coordenação motora, o equilíbrio, a força, a velocidade e a flexibilidade. Como é um exercício aeróbico agradável e não exaustivo, andar na areia estimula os músculos mais profundos, fortalecendo as articulações de pernas, joelhos, tornozelos e bacia pélvica.

Hidratação da pele: E aqui vai uma verdadeira aula de ciências para explicar esse fenômeno. Osmose é a passagem de água de um meio sem íons (hipo-osmolar) para um meio com íons livres (hiperosmolar). Os íons livres que temos nos sais da água do mar se impregnam em nossa pele, que, por mecanismos osmóticos, ‘sugam’ a água que está armazenada mais internamente em nosso organismo, aumentando o grau de hidratação da pele. Por essa razão, podemos dizer que a água do mar hidrata a cútis.

Limpeza pulmonar: Você já deve ter percebido que logo nos primeiros dias de folga no litoral, seu aparelho respiratório (nariz, garganta, pulmões) passa por uma verdadeira limpeza, pois você elimina uma grande quantidade de secreções. Isso acontece porque ao respirarmos perto do mar, há uma desintoxicação osmótica (lembra o que é osmose? Passagem de líquido de um meio para outro) e o resultado é bem parecido ao que conseguimos lavando o nariz com soro fisiológico. Como consequência, fica tudo limpo e desobstruído e nossa respiração bem melhor e mais saudável.

Antidepressivo: A radiação solar diminui a taxa do hormônio melatonina, cuja produção aumenta em condições de estresse, podendo levar à depressão. É por isso que nos sentimos felizes e reenergizados na praia, onde ainda desfrutamos de uma agradável sensação de liberdade e controle do nosso corpo por podermos usar menos roupas.

 

Trechos da Entrevista do Doutor Greco à Revista Corpo a Corpo-      Edição 274- Ano:2011.

http://corpoacorpo.uol.com.br/nutricao-saude/253/artigo159478-1.asp